30.7 C
Caldas Novas
sexta-feira, 27 novembro, 2020

Propriedade Compartilhada como aliada do empreendimento

Desenvolvimento turístico, aumento da cadeia produtiva do destino e redução da ociosidade são alguns dos benefícios agregados à RCI Brasil

Por quantas ondas a Indústria da Propriedade Compartilhada já passou? Em uma linha do tempo, nesses 27 anos de atuação da RCI no Brasil, a economia se fortaleceu, a classe C ascendeu no turismo, os padrões comportamentais mudaram e, ainda que hajam oscilações no mercado da economia global, a era do compartilhamento chegou e se estabeleceu como um divisor de águas em vários segmentos.


No mundo, os 45 anos de história da RCI também acompanharam ondas de modismo e readequação comportamental. Hoje, a indústria desempenha um papel importante no desenvolvimento do segmento turístico.


Nos últimos sete anos, a modalidade de timeshare e multipropriedade se agigantou. A indústria conquistou parceiros relevantes de todos os portes e partes do País. Das grandes redes hoteleiras, aos empreendimentos independentes, o segmento hoteleiro passou a ver a afiliação dos hotéis e resorts à RCI Brasil como uma possibilidade de diversificar o canal de venda e distribuição.


A líder de operações da RCI Brasil, Fabiana Leite, destaca que o olhar do empreendedor em relação ao timeshare e à multipropriedade mudou. “Hoje, esses produtos são vistos como aliados do empreendimento, uma vez que a ocupação de 20% a 30% está garantida, um indicador claro da receita adicional gerada pela Indústria da Propriedade Compartilhada”, ressalta a executiva.


Com a RCI, maior intercambiadora de férias do mundo, os empreendimentos estão interligados em uma grande rede de oportunidades. Se por um lado a RCI tem o sócio ávido por conhecer os hotéis afiliados à empresa, por outro temos os empreendimentos com um potencial concreto de alcançar novos clientes e rentabilizar com os hóspedes provenientes da Indústria da Propriedade Compartilhada.


Intercâmbio de férias


O intercâmbio entre as propriedades é o negócio da RCI, e esse mercado – que gera bilhões ao ano no mundo -, tem se mostrado cada vez mais estratégico para o setor de hotelaria. O investimento para o empreendedor se justifica ao longo dos anos, seja pela qualidade de cliente gerado por meio do intercâmbio, pela redução de cancelamento de reservas e aumento da utilização do empreendimento, ou mesmo pelo desenvolvimento turístico da região, geração de emprego, renda e contribuição para o turismo.


“Temos alguns dados que nos comprovam o quanto a possibilidade de intercambiar semanas adquiridas nos diversos empreendimentos auxilia na decisão de compra do consumidor. Hoje, mais de 70% dos clientes que adquirem o produto – seja no timeshare ou na multipropriedade – consideram o intercâmbio entre a rede afiliada um fator decisivo no aceite da proposta”, ressalta Fabiana.


Com o passar dos anos e amadurecimento do segmento, os produtos foram flexibilizados e as oportunidades melhoradas para que possam atender também a mudança do perfil do cliente. Hoje, o sócio que adquire o sistema de timeshare ou de multipropriedade está interessado na possibilidade de diversificar e conhecer destinos e empreendimentos que muitas vezes não estão na lista de desejos, seja pela falta de conhecimento ou mesmo pelo investimento financeiro necessário para realizar a viagem ao destino. Importante lembrar que, no modelo de multipropriedade, o sócio pode utilizar o intercâmbio adquirido, mesmo com o hotel em construção.


O viajante atual busca por programas e atividades que gerem experiências. O comportamento do público mudou muito. As pessoas não se contentam em apenas realizar, elas buscam experiências e sentido de pertencimento em toda as ações que desenvolvem. E a certeza da compra das diárias antecipadas aliada ao poder de escolha do viajante é uma mistura que vem dando certo.


A RCI está sempre engajada em propiciar ações para que o sócio adquira o produto em um empreendimento com alta qualificação e excelência, ao mesmo tempo que oferece o benefício de viajar pelo mundo com sua família. Nesse sentido, a RCI tem a preocupação de manter um contato contínuo e frequente com o sócio, tanto com intuito educacional bem como de incentivo ao uso do programa.


No fim, a Indústria da Propriedade Compartilhada agrega valor ao empreendimento e, a RCI por sua vez, busca entender o perfil do cliente associado para, cada vez mais, desenvolver uma comunicação e relacionamento de impacto que incentive o intercâmbio e faça a roda dessa indústria girar e crescer.

Curtiu? Compartilhe!

Notícias Relacionadas

ADIT Share 2020 debateu o que o Brasil pode aprender com o turismo sustentável de Cancun

Especialistas falaram sobre turismo seletivo e importância do fortalecimento da cultura local Francyelli Nunes Nunca se falou tanto da urgência na reestruturação do turismo de...

Executivos contam medidas tomadas para mitigar crise da covid-19 durante ADIT Share 2020

Empresas criaram equipes estratégicas para gerir a crise e planejar a retomada Fábio Mendonça A covid-19 trouxe uma crise sem precedentes na história e as...

ADIT Brasil e Secovi/SP anunciam desenvolvimento de Curso de Multipropriedade

Curso irá abordar todos aspectos do modelo de multipropriedade A ADIT Brasil anunciou o desenvolvimento do Curso Multipropriedade, desenvolvido pela entidade em parceira com a...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

×