25.2 C
Caldas Novas
sábado, 16 janeiro, 2021

Nova low cost brasileira deve operar voos regionais no país

Nella Linhas Aéreas pretende atuar em regiões não alcançadas pela malha tradicional e deve começar a voar no primeiro semestre de 2021Mais uma empresa aérea de baixo custo pretende investir no Brasil e operar voos dentro do país nos próximos meses. A nova companhia Nella Linhas Aéreas protocolou pedido na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para iniciar operações regionais e deu início às tratativas em reunião de alinhamento junto à agência nesta semana.

Segundo a Anac, o encontro faz parte da primeira de uma série de etapas para a obtenção do Certificado de Operador Aéreo (COA), documento que autoriza o início das atividades da companhia. O processo pode durar vários meses, até que a empresa esteja apta a lançar o primeiro voo, mas a previsão é de que isso aconteça ainda no primeiro semestre de 2021, segundo anúncio da Nella Linhas Aéreas.

Com o lema “Não se trata apenas de voar”, a companhia pretende se tornar referência na aviação regional brasileira, atendendo à demanda de cidades do interior ainda desassistidas pelo serviço aéreo, e ser reconhecida por uma gestão humanizada, focada nos viajantes e nos colaboradores. O brasileiro Maurício Souza, fundador da Nella, explica que o nome da empresa foi uma homenagem a sua filha Antonella, de menos de um ano, e que vai aplicar a jovialidade do nome nos valores da empresa.

“Queremos nos tornar referência, não por sermos a maior companhia aérea ou ter os melhores aviões, mas pela maneira diferente com que tratamos nossos clientes e funcionários: de uma forma aberta, transparente e sem barreiras. Nossa maior vontade é promover a geração de emprego, e a rentabilidade é consequência de um bom trabalho”, declarou.

Maurício Souza afirma que a Nella deve operar, inicialmente, nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste com aviões ATR 72-600 muito utilizados para pouso e decolagem em aeroportos menores. As aeronaves possuem capacidade para transportar até 72 passageiros em voos regionais. Tendo, a princípio, o centro de operações no Aeroporto Internacional de Brasília e o centro administrativo no aeroporto Campo de Marte, em São Paulo, a intenção do CEO é ampliar hubs e frotas, inclusive cargueiras.

Fonte: Ministério do Turismo

Curtiu? Compartilhe!

Notícias Relacionadas

ADIT Share debate a visão do Poder Público sobre a multipropriedade

Prefeito de Gramado e Secretário Nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões do Ministério do Turismo ressaltaram a importância deste modelo de negócio...

Empresários debatem como a estruturação jurídica contribui para o sucesso da multipropriedade

De acordo com eles, sem uma boa estruturação jurídica, o empreendimento terá problemas no futuro Fábio Mendonça A complexidade da multipropriedade não vem apenas do...

ADIT Share 2020: Especialistas apontam caminhos para multipropriedade buscar funding

Gestão otimizada, boa localização e capacitação hoteleira foram mencionados como principais atrativos para investidores Francyelle Nunes Organizado em formato híbrido e seguindo às devidas orientações...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

×