19.6 C
Caldas Novas
terça-feira, 24 novembro, 2020

Parques conquistam isenção sobre impostos de importação de equipamentos

Antiga reivindicação do setor, a isenção permanente deverá impulsionar ainda mais o lançamento de novas atrações em parques temáticos e aquáticos

Os parques temáticos e aquáticos brasileiros têm motivos para celebrar hoje, pois o setor conquistou uma grande vitória, foi publicado hoje no Diário Oficial da União a isenção permanente de impostos de importação de equipamentos para o segmento de parques e atrações, entrando em vigência em 10 de janeiro de 2020.

Esta isenção era uma antiga reivindicação dos empresários do setor e do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), com apoio do Ministério do Turismo, pois grande parte dos equipamentos para as atrações são importadas, assim, o imposto da importação e o custo do frete tornavam o lançamento de novos empreendimentos e atrações quase inviáveis. O setor de parques desejava que os equipamentos fossem classificados como bens de capital, em vez de bens de consumo.

O presidente do Sindepat e CEO do Beach Park, Murilo Pascoal, afirmou que essa conquista terá um impacto em investimentos e lançamentos de novos parques, inclusive, no curto prazo.

“Os empresários podem aproveitar e contribuir ainda mais para o incremento do turismo em suas regiões, por meio da atratividade dos empreendimentos em operação e da oportunidade para abertura de novos. Nossos parques já figuram como um dos principais destinos latino-americanos. Eles são âncoras econômicas nos locais onde estão instalados, induzindo o desenvolvimento e gerando empregos e renda para a população”, disse o ministro do Turismo, Marcelo Alvaro Antônio, que desde o início entendeu e abraçou o pleito do setor. Ele conclui assim um esforço que contou com a participação ativa dos ex-ministros Marx Beltrão, Vinicius Lummertz e suas equipes.

De acordo com o ex-presidente do Sindepat e presidente do parque Wet ’n Wild, Alain Baldacci, os valores de equipamentos mais que dobravam com os impostos e isso bloqueou por muitos anos o desenvolvimento do segmento de parques, atrações e entretenimento. ‘’Agora, entramos definitivamente no mapa de grandes e novos investimentos e, também, de forte crescimento dos parques existentes”.

De acordo com o Sindepat, em 2018, o setor de parques e entretenimento faturou mais de R$ 3 bilhões no Brasil, teve em torno de R$ 130 milhões em investimentos, recebeu 30 milhões de visitantes, além de gerar 15 mil empregos diretos.

Curtiu? Compartilhe!

Notícias Relacionadas

Beto Carrero World recebe selo internacional pelos protocolos de saúde e segurança

Certificação vem da principal associação comercial da indústria de higienização a nível global Além do Beto Carrero World, Hard Rock Stadium do Miami Dolphins, Hyatt...

Murilo Pascoal é reeleito presidente do SINDEPAT

Após um ano marcado pela pandemia, em que muitos dos planos foram suspensos ou adiados,  um dos focos da gestão que se inicia será...

Andradina terá parque temático Park dos Dinossauros

Este é o segundo parque em desenvolvimento na cidade do interior de São Paulo Desenvolvido pela mesma empresa responsável pela construção do complexo turístico Acqualinda,...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

×