25.2 C
Caldas Novas
sábado, 16 janeiro, 2021

ADIT Share 2020 aponta tendências para o Turimso Compartilhado

Para painelistas, o sucesso do atual modelo de vendas impede que empresas desenvolvam novos produtos e inovações

Qual o impacto deste momento de covid-19 para a multipropriedade e timeshare, para o futuro e nos dias atuais? O que os novos hábitos de consumo e protocolos de segurança trarão para o mercado? O painel ‘’O Turismo Compartilhado do futuro. Quais insights o big data e as novas gerações podem oferecer à indústria hoje?’’ debateu essas e outras questões, com participação do fundador da Matx Academy e presidente de honra da ADIT Brasil, Felipe Cavalcante, como moderador; o CEO da Aviva, Francisco Costa Neto; e a sócia da Mapie, Carolina Haro.

Organizado pela ADIT Brasil, o ADIT Share 2020, é o principal seminário para negócio em multipropriedade e timeshare, e que acontece de forma híbrida (presencial e on-line), nos dias nos dias 26, 27, e 28 de novembro no Wish Serrano, em Gramado/RS.

De acordo com Carolina Haro, quase nenhuma tendência foi criada agora, apenas os protocolos de segurança e saúde. ‘’Essa é a única mudança de comportamento diferente. Todos os restos eram coisas que já estavam acontecendo, mas foram aceleradas’’, ressalta. ‘’Principalmente a parte do trabalho, percebemos que tem um ser humano nas empresas. Hoje se fala de saúde mental e medo no trabalho, a busca pelo bem estar’’.

A sócia da Mapie explicou que esse tendência impacta no turismo e no desenho dos  negócios. ‘’Vamos diminuir os números de viagens corporativas. Temos viagens multipropósitos,: para visitar clientes, fazer negócios e lazer também. Nós passamos a ter um nosso mix de férias que não podemos definir o perfil dos clientes – tem a mãe de férias, o filho em aula virtual, e o pai trabalhando, tudo isso em um resort’’.

Francisco Neto revelou que a Aviva já estava desenhando um novo produto de timeshare antes da covid-19. ‘’Acreditamos que essa indústria iria morrer. Então criamos um grupo de trabalho para desenhar um novo produto. Mas veio a covid-19 e não lançamos’’.

O CEO da Aviva explicou que é difícil inovar, pois há o produto atual, que é um sucesso, mas as empresas devem pensar que este mesmo produto irá ficar velho no futuro. ‘’É difícil destruir o seu próprio produto, mas é necessário”.

Para ele, em um primeiro momento parecia que a covid-19 ira acelerar as inovações no segmento.  ‘’O que sinto que as salas de vendas estão vendendo, até mais que antes, então nada irá mudar, o que é ruim, pois iremos ficar na zona de conforto por mais tempo’’.

De acordo com Carol Haro, nas pesquisas em que ela realiza com clientes da multipropriedade e timeshare, observa-se que o comprador busca segurança para a família. ’’Então é natural, adaptando os argumentos de venda, que nesta época se venda mais’’.

Porém, ela ressaltou que deve buscar novos produtos e inovar, pois, o perfil dos viajantes em geral e dos clientes que passaram pela sala de vendas e não compram é que não querem ficar amarrados a um programa de pontos ou semanas. ‘’Há o reconhecimento das empresas na necessidade de ter mudanças e inovação, mas colocar em pratica é difícil’’.

Acompanhe a cobertura fotográfica do ADIT Share em nosso Instagram.

Curtiu? Compartilhe!

Notícias Relacionadas

Luiz Fernando Mathia desliga-se da MVC

Executivo está avaliando novos desafios profissionais dentro do mercado imobiliário turístico O executivo Luiz Fernando Mathia anuncia seu desligamento do Grupo Manhattan/MVC Férias, de Fortaleza/CE,...

MVC começa 2021 com novos diretores

Ivo Lopes é o novo diretor executivo e Raphael Almeida retorna ao grupo como diretor comercial O MVC - Manhattan Vacation Club, empresa do Grupo...

VERTA inaugura sala em formato de stand de vendas do Axé Itaparica Praia Resort

Depois de consolidar sala digital, empresa lança novo modelo de showroom de vendas para multipropriedade em um shopping center, em Feira de Santana/BA  * Fábio...

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

×