Roteiro formado pelos Lençóis Maranhenses/MA, Delta do Parnaíba/PI e Jericoacoara/CE atrai investidores interessados nos projetos imobiliários e turísticos da região

O Brasil possui exuberantes regiões ainda pouco exploradas pelo Turismo, seja porque os brasileiros ainda não conheceram, pela distância ou difícil acesso. Porém, muitas dessas regiões começam a receber melhorias estruturais do poder público e investimentos de empresários. Como é o caso da Rota das Emoções, região que engloba os estados do Maranhão, Piauí e Ceará, contando com as atrações turísticas: Lençóis Maranhenses, Delta do Parnaíba e Parque Nacional de Jericoacoara.

A Rota das Emoções já possui muitos hotéis e pousadas e no fim do ano passado foi anunciada mais uma novidade que aumentará o potencial turístico da região – uma rota aérea exclusiva, da empresa Passaredo, que interligará as três regiões turísticas da Rota das Emoções.

Impulsionado por esse potencial turístico da Rota das Emoções, um grupo de empresários do Piauí criou o projeto imobiliário e turístico Complexo Barramares, localizado na região do Delta do Parnaíba, em Luís Correia/PI, na mais famosa praia da cidade, Praia do Coqueiro, e projeta uma grande expansão para atender o aumento do número de visitantes na região.

De acordo com Anuar Daher, um dos sócios do Complexo Barramares, há muitos motivos para empreendedores e investidores olharem para a Rota das Emoções e enxergarem oportunidades de negócios. ”Trata-se de uma região com grande potencial turístico, nacional e internacional, posto que afinada com os principais conceitos de proteção ambiental e equilíbrio ecológico. Ressalte-se a localização, dimensões e características físicas privilegiadas de uma área pronta para que sejam otimizados investimentos a curto, médio e longo prazo”.

Os sócios do Complexo Barramares já acreditavam no potencial turístico da região bem antes dos Governos de Maranhão, Piauí e Ceará criarem a Rota das Emoções. Em 1986, lançaram o projeto imobiliário e turístico Complexo Barramares, contando com loteamentos, casas de veraneio, hotelaria e clube, e ainda há os planos de ampliação de hotel e construção de um novo resort – o que enquadra o projeto no chamado complexo turístico mixed used.

Atualmente, os primeiros empreendedores da região colhem os frutos de serem pioneiros, com o número de visitantes aumentando, em sua maioria dos estados do Nordeste, principalmente Maranhão e Piauí, e de outras regiões como Minas Gerais e Distrito Federal, e mais investidores interessados em realizar parcerias em projetos. ”A implantação do roteiro turístico Rota das Emoções (Jericoacoara, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses), por exemplo, trouxe vantagens e agregou valores à região, tornando-a mais competitiva em relação aos mercados nacional e internacional, projetando-a, inclusive, como o primeiro polo de turismo brasileiro com planejamento sustentável”, salienta Daher.

Barramares projeta grande expansão

Com uma área de aproximadamente 6 milhões de metros quadrados, o que corresponde a 4,9 quilômetros de faixa de praia (8% da faixa litorânea piauiense), e investimento já realizado de aproximadamente R$ 33 milhões, o Barramares conta atualmente, com um hotel pousada, um segundo hotel, ainda em construção, e um clube com aproximadamente 25 mil associados/titulares e dependentes usuários. No segmento de unidades residenciais, o projeto foi responsável pela venda de mais de 2 mil lotes e construção de 300 casas de veraneio. ”Vale ressaltar que todos esses empreendimentos possuem licenças ambientais prévias, licenças de instalação, bem como de total aprovação pelos órgãos competentes, contando, inclusive, com um Plano Diretor”, diz Daher.

Além da parte de hotelaria, o Barramares também possui três loteamentos aprovados, em que dois já estão consolidados: o Residencial Praia do Coqueiro I (95% dos lotes comercializados, de um total de 1800) e o Residencial Praia do Coqueiro II, Itaqui Residencial, à beira mar, (12% dos lotes comercializados, de um total de 440).


Os projetos futuros do Complexo Barramares incluem: implantação da infraestrutura e comercialização do Residencial Praia do Coqueiro III, Alto do Atlântico (2.450 lotes) – a projeção dos sócios é de um investimento de cerca de R$ 23 milhões; conclusão e operação do hotel (60 apartamentos), que já se encontra edificado e em fase de acabamento, com projeção de investimento de R$ 5 milhões; a viabilização e construção de um novo empreendimento hoteleiro (320 apartamentos), em área de praia, que ainda se encontra em fase preliminar de desenvolvimento e planejamento. A empresa, diante de tantos projetos, encontra-se aberta a negociações para a construção de parcerias e/ou venda de ativos.

Veja mais fotos do Complexo Barramares: