• Artigo de Kardec Borges, diretor de desenvolvimento de negócios da UNYT Arquitetura de Resultados

A geração do Milênio já é a mais populosa no Brasil. Os nascidos entre 1981 e 1996, em 2019 corresponderam à 34% (70 milhões) da população total, ultrapassando a Geração X, que representa 26% (55 milhões). Mas como isso afeta o setor da hospitalidade? Basicamente, as diferentes gerações têm objetivos distintos nas suas viagens; o viajante Millennial possui expectativas e finalidades diferentes dos Baby Boomers e da Geração X.

Mas o que especificamente os Millennials procuram na hospitalidade?

É fato que essa geração prefere passar seu tempo nos lugares públicos do que no quarto do hotel. Os espaços de trabalho compartilhados são muito valorizados, assim como o lobby. O lobby talvez seja o espaço mais importante para estes hóspedes e não mais deve ser pensado como um espaço estático, e sim como um ambiente de convivência e até mesmo reuniões. A tendência é que os lobbies sejam cada vez mais abertos, coloridos, animados e com uma variedade de assentos, sendo convidativo a ponto do hóspede passar horas desfrutando do espaço. É mais eficiente construir um lobby funcional e bem equipado e quartos de tamanho reduzidos mas que atendam suas necessidades. E quando eles passam um tempo em seus quartos, gostam de personalização; soluções como ambientação e controle pelo smartphone são extremamente eficientes.

Eles são a geração que prefere utilizar da tecnologia para facilitar a vida e a experiência de viagem. O que era para as gerações anteriores muitas vezes um luxo supérfluo, para os Millennials é uma necessidade. Alguns hotéis já usam a tecnologia para atender melhor esses hóspedes e obtêm resultados eficientes. No Hotel Pousada do Engenho, em São Francisco de Paula (RS), apesar dos ares de campo da propriedade, os quartos são equipados com um tablet que controla a luz, as cortinas, a tv, as claraboias que escondem e revelam o céu, cromoterapia e até mesmo a temperatura da sauna.Já a plataforma Tag – desenvolvida por Flávio Bonati, um jovem brasileiro de 23 anos que questionava o processo de check in tradicional – automatiza o check in e integra os dados entre diversos hotéis poupando o tempo do hóspede. A ferramenta já está sendo utilizada em mais de 100 hotéis como Ramada, Esuites, Meliá, Bourbon, Tryp, entre outros. A tecnologia precisa ser conveniente e prática, para uma geração que cresceu com a ascendência do digital.

Férias ‘Instagramáveis’ são extremamente procuradas. As imagens publicadas no Instagram de quartos, restaurantes, lobbies e piscinas se tornaram o marketing mais eficaz e barato para os hotéis, considerando que – segundo o Hotel Management – 73% dos viajantes dessa faixa etária verificam as mídias sociais de uma empresa antes de escolher um hotel e 33% desistem da hospedagem se o hotel não tiver presença nas redes. E, já que, segundo a mesma pesquisa, 97% publicam as experiências de viagem nas redes sociais, é interessante que os designers e arquitetos pensem em espaços que sejam adequados para um “momento Instagram”, um ambiente que promova uma experiência digna de ser compartilhada e desperte interesse em quem estiver vendo de longe pelas redes do visitante, criando assim marcas registradas do hotel mesmo para quem nunca esteve hospedado. E não se esquecendo também de integrar de forma eficiente em todos os espaços múltiplas tomadas para carregamentos de dispositivos, entradas USB e Wi-Fi que supram essa necessidade de sempre estar conectado.

Os pontos-chaves, portanto, são um design moderno e contemporâneo, extrema personalização e tecnologia inteligente de ponta. Os viajantes Millennials não compram facilmente a ideia de uma marca, ao invés disso preferem criar suas próprias experiências para satisfazer seus objetivos pessoais. Ao viajar, eles anseiam por conhecer melhor os costumes e cultura local. Assim, o hotel escolhido deve seguir um design e oferecer serviços que tragam as especificidades do lugar. Apesar do design contextual – o design centrado no usuário- não ser uma novidade no design de hotéis, ele ganha uma importância ainda maior quando se trata desses hóspedes.

Kardec Borges