Artigo de Milton Filho, arquiteto e urbanista da MFDC Arquitetura & Design

Hoje nas empresas falamos em modelo de negócios, novos conceitos, quebra de paradigmas! E no mercado do turismo como essas mudanças tem acontecido? O que é necessário para acompanhar as tendências de mercado e suprir a expectativa especifica de cada cliente?

Um conceito ao qual tem de discutido muito entre os clientes é o quanto vale a pena um modelo MIXED USE dentro do negócio? Ou seja, oferecer a hospedagem tradicional, com entretenimento, que no caso um parque aquático ou temático anexo ao empreendimento, um modelo de comercialização de apartamentos, seja no modelo tradicional de unidades full, no modelo de multipropriedades, no modelo de time share vendendo o direto de uso de semanas ao longo do ano por um período determinado. Essa formula já testada por várias empresas tem funcionado bem até aqui, e no futuro? Quais as expectativas dos clientes?

O fato é que cada local tem suas particularidades e um projeto ou modelo de operação não pode ser replicado integralmente em diversos destinos (como as famosas bandeiras americanas e europeias, que simplesmente implantavam suas bandeiras em qualquer país com as características similares). As tendências, o mercado, os clientes, apontam que o empreendimento precisa ter personalidade, precisa estar integrado ao seu entorno, preservação da natureza e uma sustentabilidade real, onde todos os envolvidos estão ganhando, da comunidade local até os investidores, isso precisa estar explicito. Mais que um mix-use é importante que o conceito seja honesto, e que o entretenimento esteja no DNA da empresa.

As características especificas de cada lugar irá definir o conceito do complexo ou empreendimento; por exemplo, um terreno com vista para o mar, próximo a regiões de mergulhos para ter uma experiência nos recifes de corais, terá uma temática e soluções de projetos diferentes de um empreendimento na serra gaúcha, onde a expectativa das pessoas estão relacionadas a gastronomia, o frio, e a exploração de uma cultura de descendência europeia.

Pode acreditar, todo lugar tem diferencias a oferecer! O que encontramos apenas lá? Esse é o diferencial!

Até agora falamos de conceito, e quando este está definido, a arquitetura entra em cena, onde o profissional faz a transição entre o conceito e a operação funcionando e entregando a experiência ao cliente.

E a arquitetura? Dentro desse mercado especifico, o arquiteto tem uma responsabilidade enorme, com alguns pontos decisivos para a sustentabilidade do empreendimento a longo prazo. Ele é responsável em integrar todo o ciclo do negócio, desde a visão do cliente a facilitar o trabalho da operação.

Experiência: Entregar o efeito “Wow”! Impactar os clientes, hospedes e todos que estiverem lá! Tudo precisa ser Instagramavel, esse empreendimento precisa ser um objeto de desejo, um sonho, conectar as construções e as pessoas com o entorno, com a cultura local, as visuais, o clima, etc.

Operação: Desde fluxos bem definidos (hospede, funcionários, serviço, caminhões), até o dimensionamento do “back”, onde é necessária uma precisão milimétrica, cada m² construído precisa ser rentabilizado e atender o funcionamento da operação.

Expansão: Todo complexo, por maior que ele se inicia, precisa ser flexível e ter espaço para ampliações futuras, prever de forma inteligente desde a concepção; além de ampliações, o mundo muda o tempo todo, então tudo precisa ser passível de mudança, tarefa nada fácil aos arquitetos.

Enfim, são inúmeros os pontos importantes e de atenção durante essa transição entre o conceito idealizado e a entrega da experiência aos clientes, onde a experiência do arquiteto é fundamental, mais que a experiência de uma única pessoa, é importante um profissional que saiba agregar, extrair o melhor de cada membro de um time multidisciplinar, para obter uma visão 360°, entregando assim um projeto onde cada solução foi discutida e é consenso de vários profissionais.

  • Milton Filho é arquiteto e urbanista, sócio da MFDC Arquitetura & Design, com mais de 10 anos de experiência em Arquitetura e Construção Civil, possui MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas, no segmento de turismo e hotelaria atuou por seis anos na Aviva Algar FLC, como coordenador de projetos, gerenciando todo o Portfólio da área de Projetos e Implantação.

Instagram – @miltonfilho.arquiteto ou @mfdc.arq.design

E-mail – milton.arquitetura@gmail.com