Empresa de intercâmbio e benefícios de férias aponta o mercado brasileiro como o mais promissor no mundo


Uma das maiores empresas do segmento de turismo compartilhado mundial, a intercambiadora de férias Interval International promoveu na semana passado, 07/08, em São Paulo, a Conferência de Investimento em Propriedade Compartilhada e os executivos da empresa, o vice-presidente executivo de vendas globais e desenvolvimento de negócios, Marcos Agostini,  e o diretor executivo de novos negócios, Fernando Martinelli, aproveitaram para falar sobre os planos da empresa para o mercado de timeshare e multipropriedade no Brasil.

Desde da reabertura do escritório da Interval no Brasil em 2012, após um período que a empresa ficou sem atuar no país, a intercambiadora cresceu consideravelmente. Em 2012, a Interval possui 30 empreendimentos afiliados e 1 sala de vendas. Hoje, há 72 empreendimentos dentro da rede de intercâmbio da empresa, além de 25 salas de vendas. ‘’Nos primeiros 24 meses de atuação foram apenas negociações. O primeiro grande negócio, primeira grande rede hoteleira afiliada à Interval no Brasil, foi a Rede Plaza, em 2014’’, lembrou Fernando Martinelli.

O VP da Interval, Marcos Agostini, explicou que os mercados em que há mais crescimento da Interval atualmente são Brasil, México e Ásia, mas o Brasil é o principal mercado da empresa hoje.

‘’A estratégia da Interval para o Brasil é explicar aos empresários o modelo, benefícios e o que ganharão com o modelo de tempo compartilhado’’, disse Marcos Agostini. ‘’O modelo no Brasil já está mais formalizado, com ingredientes para o sucesso na curva de desenvolvimento, com muitas oportunidades’’.

Oportunidade de negócios

Fernando Martinelli apontou que há várias oportunidades de negócios para a Interval no Brasil com redes hoteleiras para vacation clubs; hotéis que desejam ampliar o empreendimento, implantando a multipropriedade; incorporadoras que possuem estoque para desovar; etc. O escritório da empresa no Brasil, localizado em São Paulo, funciona como ‘’uma boutique de negócios’’, como diz o diretor executivo, com foco em desenvolver negócios e ajudar empreendedores. Os outros atendimentos, para resorts afiliados e membros da rede de intercâmbio, são realizados em escritórios em Miami, EUA.

Apesar dessas oportunidades no mercado brasileiro, o VP da Interval pensa em um crescimento sustentável da empresa no país. ‘’O trabalho é com mais qualidade e menos quantidade’’, avaliou Marcos Agostini. ‘’Para fazermos mais avaliações temos que realizar mais estruturações dos negócios dos empreendedores’’.

Fernando Martinelli salientou que quando algum empreendedor procura a Interval tem o objetivo de agregar uma marca forte e internacional ao projeto, mas a empresa tem um grau de exigência maior para fechar parcerias, com uma preocupação grande com a entrega do projeto, documentações e garantias. ‘’A Interval avalia os riscos, pois é uma empresa de capital aberto e tem uma responsabilidade muito grande’’.

 Modelo complexo exige maior planejamento

Além do planejamento e avaliação de risco da Interval para fechar negócios, Marcos Agostini destacou que a própria complexidade do modelo de turismo compartilhado faz que os desenvolvedores demorem para lançar projetos. ‘’Uma empresa leva em média de 4 a 5 anos estudando o mercado para lançar um produto fracionado para entrar no negócios’’.

Essa complexidade apontada pelos executivos da Interval envolve aprovações de licenças e alvarás, estudo e desenvolvimento do projeto, lançamento, captação de capital, comercialização. ‘’E o mais importante  é a segurança e confiança na tomada de decisão para inicia o negócio. Até que o empreendedor se sinta confortável para investir’’, afirmou Fernando Martinelli.

A captação de recursos financeiros também foi destacada pelo diretor executivo da Interval, já que normalmente um projeto de turismo compartilhado envolve a uma alta exposição de caixa por mais de dois anos, e o mercado financeiro, que seria onde buscar esse capital, ainda não confia plenamente neste modelo de negócio. ‘’A multipropriedade ainda não completou o ciclo completo, do desenvolvimento até a operação. O mercado financeiro avalia mais os riscos’’.

Intercâmbio de férias

Fernando Martinelli frisou que a Interval não é apenas uma empresa que realiza intercâmbio de férias, mas de benefícios de férias. Os produtos da empresa aos clientes finais são muito flexíveis, englobando, além do intercâmbio entre hotéis: troca de pontos por diárias hotéis, troca de pontos por cruzeiros, descontos em hotéis, aluguéis de carros, as semanas Getaways, que são semanas de hospedagens em resorts com preço mais baixa que as OTA’S.

Os executivos da Interval se mostram bastante otimistas com a credibilidade que o modelo vem adquirindo junto aos consumidores. ‘’O tempo compartilhado vai se massificar cada vez mais com a cobertura das grande mídia, mais projetos, salas de vendas, além de que a internet também ajuda muito na divulgação’’, disse Fernando Martinelli. ‘’É uma forma eficiente de viajar, uma oportunidade de conhecer destinos inacessíveis’’.