Em estudo encomendado pela ADIT Brasil, o valor total vendido com programas de férias ou frações imobiliárias saltou de R$ 1,2 bilhão para R$ 3, 466 bilhões


Enquanto diferentes setores da economia apresentam retração, a indústria do turismo compartilhado (timeshare e multipropriedade) atravessa momento de franca expansão no país. É o que aponta a pesquisa “O mercado do turismo compartilhado no Brasil”, realizada pela FGV – Fundação Getúlio Vargas, que foi encomendada pela ADIT Brasil – Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil. Em comparação com 2018, o valor vendido com programas de férias ou frações imobiliárias saltou de 1,2 bilhão para 3,466 bilhões no ano, o que corresponde a um crescimento de  188%.

De acordo com o estudo, Goiás é o estado com maior número de empreendimentos com este modelo de negócio, seguido por São Paulo, Santa Catarina e Paraná. Já por região, o Sul e Centro-Oeste lideram com 25%, seguidos pelo Nordeste com 24%, Sudeste com 22% e o Norte que passou de 1%, em 2018 para 5% em 2019.

A respeito do comportamento dos usuários brasileiros do turismo compartilhado, os dados apontam um crescimento no número de clientes ativos, passando de 224 mil para mais de 365 mil em 2019 com 100.313 programas de férias ou frações imobiliárias vendidas, além de aumento na ocupação média dos empreendimentos passar, exclusivamente com essa modalidade, de 24,5% para 36,4%.

Entre os perfis de estabelecimentos mais buscados, os de sol e praia seguem como preferidos pelos turistas.  Chama atenção, neste ano, o interesse maior por destinos com águas termais que ultrapassaram os de parques aquáticos. Destinos com parques de diversões também apresentaram crescimento em 2019 no comparativo com 2018.

O Brasil tem, hoje, 22 projetos com obras em execução. Na mesma época de 2018, quando a pesquisa foi realizada pela primeira vez, eram quatro. Nota-se, também, um aumento expressivo no número de unidades utilizadas nos empreendimentos em atividade. De 18.164 no ano passado, registra-se, atualmente, um total de 28.665, o que faz com que 65% dos empreendedores dessa categoria considerem expandir atuação e construir novos negócios.

O estudo foi desenvolvido por meio de pesquisa quantitativa com executivos como CEO’s, proprietários, gerentes e diretores dos programas de turismo compartilhado em todas as cinco regiões do país. As entrevistas aconteceram entre os dias 24 de abril e 24 de maio de 2019.

Fonte: Mapa Comunicação Integrada

Please follow and like us: