• Artigo de Milton Filho, arquiteto e urbanista da MFDC Arquitetura & Design


Que o mundo mudou não temos dúvidas, até porque a única certeza é a mudança! E essa mudança vem com tudo nesta década, onde a palavra de ordem é compartilhar. Não é mais tendência, já é realidade, desde o Uber, o Airbnb, as experiências com os filhos, os locais de trabalho, tudo precisa ser colaborativo.

E nossas experiências de férias? As casas de veraneio, os hotéis, os resorts? Cada vez mais precisam estar com essa visão.

Essa nova geração Y, os millennials, e as gerações passadas que já pensam da mesma forma; não que eles não queiram ter a posse de algo, o que eles não querem é a responsabilidade de ter que cuidar da casa da praia, cortar grama, consertar a bomba do poço, coisas desse tipo que nossos pais e avós gastavam boa parte do tempo de férias fazendo.

Então surge um produto extraordinário, a propriedade compartilhada, sistema muito utilizado com barcos, aviões, etc. Um apartamento onde você paga proporcional ao que você realmente utiliza, sem se preocupar com a manutenção; ter a experiência de estar em um hotel com a segurança de uma escritura.

Mas o que a arquitetura tem a ver com esse novo modelo inovador de negócios? TUDO!

Esse cliente não quer apenas um apartamento de um ou dois quartos, nos moldes da década de 80, ter que discutir o valor de m2. Esse cliente quer EXPERIÊNCIA! Esse empreendimento precisa antes de mais nada ser Instagramável! E essa é a função da arquitetura, desde a concepção do negócio, o master plan, o programa de necessidades, tem que prever que cada ambiente, cada m2 construído ofereça uma experiência memorável ao hóspede. Cada foto a ser postada precisa gerar desejo (nele e na audiência que ele tem nas redes sociais).

O apartamento não é um hotel low cost, ele precisa ter personalidade e aí entra a expertise do arquiteto especializado com a indústria hoteleira e de entretenimento, tudo tem que ser durável, com pouca manutenção, reduzindo os riscos, acidentes, porque esse apartamento é seu e de mais dez, doze, quinze famílias, então essa personalidade, essencial para diferenciar o produto nesse concorrido mercado, precisa estar alinhada a operação desse negócio extremamente complexo.

Lembram do Airbnb que falamos no início, ele é o principal concorrente nesse mercado, porque cada oferta de hospedagem tem sua personalidade e para todos os gostos. Seria então inteligente um empreendimento residencial de inúmeras unidades (200, 300, 400), com todas as unidades padrão? NÃO! Outro desafio, em que novamente a expertise do arquiteto especializado pode diferenciar esse empreendimento, para entregar exclusividade para diferentes perfis de clientes em um mesmo lugar.

O indispensável é sempre um bom planejamento, discussão com o maior número de pessoas e de diferentes áreas, formações, estilos, para se chegar a um bom programa de necessidades, e claro, muito estudo, pesquisa e CRIATIVIDADE!

  • Milton Filho é arquiteto e urbanista, sócio da MFDC Arquitetura & Design, com mais de 10 anos de experiência em Arquitetura e Construção Civil, possui MBA em Gerenciamento de Projetos pela Fundação Getúlio Vargas, no segmento de turismo e hotelaria atuou por seis anos na Aviva Algar FLC, como coordenador de projetos, gerenciando todo o Portfólio da área de Projetos e Implantação.

Instagram – @miltonfilho.arquiteto ou @mfdc.arq.design

E-mail – milton.arquitetura@gmail.com

Please follow and like us: