Na palestra de encerramento do 4ª Top Seller Event, organizado pela RCI Brasil, nos dias 09 e 10 de novembro, no complexo da Costa do Sauípe/BA, teve a presença de Gilberto Amauri Godoy Filho, mais conhecido como Giba.

 

Ex-jogador de vôlei, medalhista de ouro nas Olímpiadas 2004, tricampeão mundial de vôlei, oito vezes campeão da Liga Mundial de Vôlei e seis vezes escolhido o melhor jogador do mundo, Giba fez a palestra ‘’Giba Neles – A analogia entre o esporte e o mundo coorporativo´´.

 

‘’ Tá todo mundo animado?´´, perguntou o ex-jogador no início da palestra. ‘’Quase igual quando estava em Gramado comprando minha cota’’, disse Giba, se referindo a sala de venda, com as palmas e champanhes.  Logo após, Giba confirmou ter adquirido duas frações imobiliárias do Gramado Parks, se tornando associado à RCI. ‘’Eu comprei. Eu acredito’’, confirmou o ex-jogador.

 

Na palestra, Giba fez um paralelo entre o mundo dos esportes e o corporativo, exemplificando com sua vitoriosa experiência esportiva.

 

Superando as dificuldades

dsc_0197

Giba teve leucemia com 4 meses de idade e aos 11 anos sofreu um acidente que o deixou com 150 pontos no braço. Mesmo assim, com todos esses problemas de saúde, buscou o esporte. ‘’Fui buscar um esporte coletivo sem contato físico, e encontrei o voleibol’’, relatou.

 

No início de sua carreira, ainda adolescente, foi cortado de uma peneira por ser considerado baixo para a prática do vôlei. Na época, Giba media 1,87m de estatura, hoje Giba possui  1,92m. ‘’Comecei a treinar saltos na areia, pois eu tinha que ter algo a mais, a performance’’, contou. Ele disse que altura média dos jogadores atualmente é de 2.10m, a rede de vôlei possui 2,43m e ele quando saltava chegava até 3,55m.

 

Outro caso de superação de Giba, é que o mesmo aponta como o momento mais crítico de sua carreira, foi quando foi pego no exame antidoping em 2003, quando jogava na Itália, por uso de maconha. ‘’Aquilo me chamou a atenção de como eu era, do que representava´´, disse Giba, que assumiu o erro na época e pediu desculpas. ‘’Fui muito criticado, ou desistia ou levantava, e depois daquele ano fui eleito o melhor do mundo seis vezes´´.

 

Espírito de equipe

Assim como em todas as empresas, um time de esporte coletivo tem muitos problemas na gestão de pessoas. ‘’Dividem-se tristezas, alegrias, trabalho, realizações com um time, pois um time vence´´.

 

Por isso, Giba defendeu uma visão de time para as empresas, em que todas as pessoas têm a mesma importância. ‘’Nenhum talento individual é mais efetivo que o coletivo´´. Para exemplificar como esse espírito de equipe estava na seleção brasileira, ele contou o que os jogadores faziam com as premiações individuais que ganhavam. ‘’A premiação era dividida, pois eu precisava do time´´.

 

Inovação

Giba brinca com os executivos da RCI, Juan Ignacio e Ricardo Montaudon (Giba está agachado).

Giba brinca com os executivos da RCI, Juan Ignacio e Ricardo Montaudon (Giba está agachado).

Giba contou um pouco da evolução do voleibol, em que antigamente o jogo era mais lento e com bolas altas, para depois ter apenas dois jogadores da equipe jogando com bolas rápidas. E a seleção brasileira de sua geração inovou. ‘’Todos os jogadores passaram a jogar rápido´´, afirmou. ‘’Para inovar precisamos sair da zona de conforto e aprender coisas novas´´.

 

Liderança

Giba trabalhou com um dos mais reconhecidos técnicos de voleibol e líderes do país, Bernadinho, e contou o que aprendeu com ele sobre a relação líder e liderado. ‘’ Ele foi o melhor psicólogo na minha vida, ele conseguia tirar o melhor de cada um´´.

 

Esse melhor de cada um, segundo Giba, é que cada pessoa precisa de um estimulo, coisas que dão certo para um não darão para outros, e saber a hora de elogiar e ser mais duro.

 

‘’O líder nunca lidera sozinho. Ele era um ótimo técnico, mas tinha uma equipe fenomenal´´, afirmou. ‘’Ela sabia montar uma equipe´´.

 

 

  • A Revista Turismo Compartilhado cobriu o Top Seller Event a convite da RCI Brasil.